Projeto Ockham

N° 10 • 24 Jul 05

Procurando o "abalo na Força"
Todos com um mínimo de cultura cinematográfica devem se lembrar da cena de Guerra nas Estrelas onde Darth Vader demonstra o poder da Estrela da Morte destruindo o planeta natal da princesa Leia. Muito, muito distante dali, Obi-Wan Kenobi sente o "abalo na força".

Bem, mais uma vez a vida imita a ficção, ou pelo menos tenta. Na prestigiada Universidade de Princeton, um grupo de pesquisadores (provavalmente não tão prestigiados...) mantém um projeto cujo objetivo é literalmente detectar "abalos na Força". Só que eles chamam a Força de "consciência global", logo o nome do projeto é "Global Consciousness Project" .

Mas como as técnicas Jedi ainda são um mistério para nós, o método empregado pelo GCP é mais tecnológico - vários computadores são usados para gerar números randômicos continuamente e, em teoria, os "abalos na Força" seriam revelados por surtos anormais nas seqüências de números gerados.

A idéia não é totalmente original. Há muito tempo, parapsicólogos buscam identificar poderes paranormais em pessoas, entre outros métodos, verificando se estas pessoas conseguem influenciar os resultados de um gerador de números aleatórios. O GCP apenas pegou esta idéia e aumentou a escala para toda a humanidade - "o objetivo do projeto é examinar correlações sutis que pareçam refletir a presença e a atividade de uma consciência mundial".

Não vamos nem entrar nas técnicas estatísticas necessárias para tirar conclusões confiáveis deste tipo de análise, porque tornaria o texto chato e longo. Vamos direto ao que os responsáveis pelo GCP consideram um "evento global", que seria capaz de influenciar os resultados: "De acordo com a natureza exploratória do projeto, não existe um critério único para aceitar eventos propostos como eventos globais." Hmm, não começou muito bem. "A maioria dos eventos são considerados globais porque envolvem a atenção ou a atividade de muitas pessoas e aparecem com destaque nos jornais. Assim, um evento local como um desastre natural pode ser considerado global se ganha atenção global." Meio subjetivo, mas continuemos. "Alguns efeitos astrológicos são aceitos por sua natureza não-local (logo, global)" Hein? "Algumas rezas e meditações que envolvem números relativamente modestos de pessoas são aceitos porque envolvem uma intenção global, como a paz mundial". Aaargh...Eis alguns dos eventos globais mais curiosos: o episódio final da série Survivor, o funeral de Pierre Trudeau (se você não sabe quem é, não está sozinho), o concurso de Miss Universo em 2000, a visita de Oprah Winfrey à África, o recorde de Mark McGuire (jogador de baseball), a cerimônia do Oscar em 2004 (só a de 2004, por algum motivo as outras não foram tão globais)... Propomos então que as gerações de cientistas mortos revirando-se em suas tumbas na hora em que esta definição de evento global foi escrita seja considerado também um evento global.

Como se essa definição, digamos, flexível, de evento global não bastasse, seria de se esperar que os efeitos na "consciência global" ocorressem no momento do evento (pelo menos foi assim com Obi-Wan). Mas aqui a subjetividade ataca de novo. A lista de eventos globais mostra o intervalo de tempo no qual os pesquisadores esperam que as anomalias se revelem. E lá vamos nós de novo...Para a final de Survivor, foi duas horas, mas para a final do Miss Universo, apenas cinco minutos; para a queda do avião de John Kennedy Jr, três horas, para a queda do vôo AA587, quatro horas, mas para a queda do Concorde, apenas trinta minutos.

É óbvio que com essa flexibilidade toda, não é preciso muito esforço para associar algum evento "global" a qualquer "tremor" na tal seqüência de números randômicos, ignorando os eventos "globais" que acontecem no resto do tempo. Mas temos que admitir que os responsáveis pelo GCP mantém uma perspectiva conservadora. Afinal de contas, na seção de conclusões científicas, eles afirmam "Tentaremos relacionar as anomalias com consciência e intenção. Talvez chegaremos a conclusões." Talvez...Enquanto isso, apostamos em Yoda e Obi-Wan.

Material ultra fino é inventado
A importância dos materiais em nossa vida é tão grande que a própria história da civilização é dividida de acordo com o o domínio do homem sobre eles. Assim tivemos a idade da pedra, do bronze e do ferro. E em que era vivemos hoje? Provavelvemente a melhor resposta seria: a idade dos novos materiais. Mais uma evidência disso são os materiais de apenas um átomo de espessura inventados por cientistas ingleses e russos da Universidade de Manchester.

Desenvolvidos pela equipe do professor Andre Geim, estes novos materiais não são apenas super-ultra-hiper finos, mas extremamente resistentes. "Esta descoberta abre novas possibilidades para aplicações que as pessoas nem pensaram ainda. Estes materiais são leves, flexíveis, fortes e existe uma enorme gama deles. (...) Materiais com espessura de um átomo podem ser usados em uma míriade de aplicações, de roupas a computadores", disse Geim.

Os materiais foram criados extraindo-se os planos atômicos individualmente através de um processo conhecido por "clivagem micromecânica". Dependendo do material do qual são retirados os planos atômicos, o produto final pode ser condutor, isolante, magnético, etc. A maior descoberta na verdade foi que esses materiais bidimensionais são estáveis nas condições ambientes e que, graças ao seu arranjo cristalográfico único, possuem propriedades excepcionais.

O trabalho, intitulado "Two Dimensional Atomic Crystals", foi publicado em julho no "Proceedings of the National Academy of Sciences".

PhysOrg

Robô realiza exames de câncer de mama
Um robô que faz o exame de toque nos seios e pode diagnosticar câncer de mama foi desenvolvido na Universidade Estadual de Michigan.

A invenção tem a grande vantagem de realizar o exame de toque e o ultra-som ao mesmo tempo. "Se o médico puder examinar a imagem e sentir o que está vendo, isto é uma enorme vantagem", disse Ranjan Mukherjee, da equipe da universidade. Além disso, o robô é operado a distância pelo médico através de uma luva com sensores. Assim o exame pode ser feito com o médico em outra parte do planeta. Os inventores esperam que esse robô possa ser comercializado dentro de cinco anos.

A idéia de robôs tocando pessoas pode ser meio assustadora para quem se lembra dos primeiros quinze minutos de Robocop, quando o robô policial perde o controle. "É claro que existem algumas preocupações em se ter robôs poderosos diretamente em contato com as pessoas. Teremos que projetá-los e testá-los cuidadosamente para garantir que não exerçam forças inadequadass que possam causar danos", disse Stephen Brewsler, especialista em interação de humanos com robôs. Talvez esta seja a profissão do futuro.

Newscientist

A pornografia emburrece?
Um estudo mostrou que a pornografia causa danos às células do cérebro. Segundo a Dra. Judith Reisman, a pornografia produz o que ela chama de "erotoxina", um coquetel de testosterona, oxitocina, dopamina e serotonina, que causa dependência e transforma a vítima em um "zumbi-pornô".

Sim, isso mesmo. Mas antes de correr para se desfazer de sua coleção de Playboys, é bom ouvir o outro lado dessa história.

A autora do estudo é associada da Lighted Candle Society, uma organização de direita cristã do estado americano ultraconservador de Utah, empenhada em promover os valores morais (cristãos) e que vem sistematicamente patrocionando estudos anti-pornográficos. Um estudo que transforma a pornografia em um problema químico em vez de moral é a bandeira perfeita para grupos como o da Dra. Judith. "Toda pornografia deveria ser legalmente proibida como qualquer outra droga tóxica e eliminada da nossa sociedade", disse a pesquisadora ao senado americano em um recente seminário sobre pornografia.

O trabalho, "The Psychopharmacology of Pictorial Pornography Restructuring Brain, Mind & Memory & Subverting Freedom of Speech" está disponível aqui. Mas cuidado! Com grande quantidade de imagens pornográficas o efeito do artigo sobre o seu cérebro pode ser devastador...

Wired Magazine

A última estranheza de David Lynch
David Lynch é responsável por ter dirigido alguns dos mais estranhos filmes de todos os tempos: Coração Selvagem, Estrada Perdida, Veludo Azul, Cidade dos Sonhos e a série de televisão Twin Peaks, por exemplo. Ele também é conhecido por outras estranhezas menores, como ter ido todos os dias durante vários anos, exatemente às 14:30 h, tomar milk shake de chocolate numa sorveteria de Los Angeles ou por ter recusado a oferta de George Lucas para filmar "O Retorno de Jedi", preferindo fazer o seu próprio filme de ficção científica, Duna, que foi um gigantesco fracasso.



Agora David Lynch se saiu com a maior de todas as suas excentricidades: fundou a "Fundação David Lynch para Educação baseada na Consciência e Paz Mundial". O primeiro objetivo da fundação é levantar 7 bilhões de dólares, que seriam usados para levar a meditação transcedental a todas as escolas americanas. Segundo Lynch, isso vai ajudar a diminuir o stress e a ansiedade nas salas de aula. Mas este nobre objetivo - que nem parece vir do criador de filmes que transbordam violência e crueldade - é pueril em vista do que se segue: Lynch quer criar várias células de meditação ao redor do mundo, cada uma com 8000 meditadores, que simultaneamente cantariam e rezariam pela paz mundial. Com isso espera diminuir as guerras e as taxas de crimes. E por que 8000 meditadores? "Porque esse número é a raiz quadrada de um por cento da população mundial", diz o diretor.

O interesse de David Lynch pelo transcedental é antigo. Ele é cliente há 32 anos de Maharishi Mahesh Yogi, famoso por ter sido o ex-guru dos Beatles. Depois de tantos anos de prática, que basicamente consiste em meditar recitando um mantra monossilábico durante 20 minutos, Lynch atingiu o estágio de siddha, o que significa que, teoricamente, sua meditação é tão profunda que ele pode levitar (embora a levitação de um sidda não seja tão impressionante como se pensa; é mais uma série de pulinhos apoiados em um joelho, sobre um colchão fofo). "Não sou um bom levitador", diz Lynch. Talvez porque meditadores transcedentais de último nível não costumem fumar.

The Independent
The Sun Times

Os mitos das dietas
A área da nutrição é especialmente propícia para o surgimento de mitos. O jornal on-line Herald Dispatch traz alguns deles, que você já deve ter ouvido:

A melhor maneira de reduzir o colesterol é não comer ovos
Deixar de comer ovos não vai reduzir o seu colesterol automaticamente. Reduzir a quantidade diária de gordura saturada vai funcionar muito melhor.

Para emagrecer basta cortar a gordura.
Comida sem gordura ainda pode ter grandes quantidades de açúcar e muitas calorias.

O sal aumenta a pressão arterial
Reduzir o sal realmente reduz a pressão arterial, mas pesquisas têm mostrado que vários outros fatores têm um peso muito maior no controle da pressão, como por exemplo: fazer exercícios, perder peso e comer frutas e vegetais (pelo magnésio e potássio).

Açúcar causa obesidade
Excesso de calorias e pouco exercício é que causam obesidade. Não culpe somente o açúcar.

Manteiga tem mais gordura que margarina
Manteiga e margarina têm a mesma quantidade de gordura. A diferença é que a manteiga tem mais colesterol e óleos saturados.

Vitamina C previne resfriados
Suplementos de vitamina C não previnem resfriados, embora possam reduzir a severidade dos sintomas.

Herald Dispatch

Rapidinhas
Novo Círculo nas Plantações
Novos círculos nas plantações inglesas não mais são motivo para grandes manchetes. Surgem centenas todos os anos, a grande maioria durante o verão inglês, e embora aura de mistério permaneça, todos sabem que há diversos grupos de grafiteiros de cereais em atividade na Inglaterra. Mas nós nunca nos cansamos de sua beleza, não é?

Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem