Projeto Ockham
O Pensador Uma introdução ao pensamento crítico

por Alexandre Taschetto de Castro mail
em 22/06/02

"Baloney Detection"

Fórum Enviar artigo

A utilização do pensamento crítico para identificar alegações falsas foi descrita de forma excepcional por Carl Sagan, que cunhou o termo em inglês "Baloney Detection" (algo como detecção de besteiras). Em seu livro "O Mundo Assombrado por Demônios - A ciência vista como um vela na escuridão", ele descreveu o seu kit de detecção de besteiras ("Baloney Detection Kit):

"A essência do pensamento crítico consiste na habilidade de elaborar e entender um argumento lógico e - especialmente importante - reconhecer um argumento falho ou fraudulento. Não é uma questão de gostarmos ou não da conclusão que emerge de uma linha de raciocínio, mas sim se a conclusão realmente é resultado da premissa inicial e se esta premissa é válida.

Entre as ferramentas que podem ser usadas para este fim, temos:

Sempre que possível deve haver uma confirmação independente dos 'fatos'
Promova uma discussão abrangente sobre as evidências com defensores (bem informados) de todos os pontos de vista
Argumentos oriundos de 'autoridades' têm pouca importância - 'Autoridades' cometeram erros no passado e o farão de novo no futuro. Em outras palavras, na ciência não existem autoridades, existem, no máximo, especialistas.
Crie mais de uma teoria. Pense em todas as formas pelas quais o fato em questão pode ser explicado. Então pense em formas de derrubar sistematicamente cada uma das alternativas. A teoria que sobreviver a esta 'seleção natural' tem maiores chances de ser a correta.
Não se apegue demais à sua própria teoria. Busque razões para rejeitá-la. Se você não fizer isto,outros o farão.
Quantifique sempre que possível. Aquilo que é vago e qualitativo é aberto a muitas explicações.
Se existe uma cadeia de argumentos, cada elo da cadeia deve ser válido - não apenas alguns deles.
A lâmina de Ockham - Se duas teorias explicam um fato igualmente bem, escolha a mais simples.
Sempre verifique se a teoria pode ser testada. Teorias que não podem ser testadas têm pouco valor.

Um bom kit de detecção deve não só ensinar-nos a identificar um argumento falso, mas também ensinar-nos o que não fazer, isto é, ajudar-nos a identificar as principais falhas de lógica e retórica. Muitos bons exemplos podem ser encontrados em religião e política. Podemos citar:

ad hominem ('ao homem', lat.) - atacar a pessoa e não seu argumento. Ex. O Reverendo Smith é um conhecido fundamentalista bíblico, logo seus argumentos contra a teoria da evolução não devem ser levados à sério.
argumento de autoridade - Ex. O Presidente Nixon deve ser reeleito porque tem um plano secreto para encerrar a Guerra do Vietnam - mas como o plano era secreto, não era possível avaliá-lo; o argumento baseava-se em confiar em Nixon porque ele era presidente; um erro, como se descobriu mais tarde.
argumento de conseqüências adversas - o argumento deve ser verdadeiro porque sua falsidade levaria a consequências negativas. Ex. Deus deve existir porque se Ele não existisse a sociedade seria muito mais caótica e violenta.
apelo à ignorância - algo que não foi provado falso deve ser verdadeiro, e vice-versa. Ex. Não existe prova concreta contra a existência de discos voadores, logo eles devem existir. A crítica clássica a este tipo de argumento pode ser resumida como: a ausência de evidência não é evidência da ausência.
alegação especial - em geral usada para resgatar um argumento em sérios apuros. Ex. Como pode Deus permitir que os seguidores do Judaísmo, Cristianismo e Islamismo - todos prescrevendo atos heróicos de compaixão e bondade - perpetrassem tantas crueldades por tanto tempo? Você não compreende a doutrina da livre vontade. Deus age de formas misteriosas.
presumir a resposta - Ex. Precisamos instituir a pena de morte para diminuir a criminalidade. Mas a criminalidade realmente cai quando a pena de morte é adotada?
seleção observacional (enumeração de circunstâncias favoráveis) - ou como Francis Bacon colocou, contar os acertos e esquecer os erros. Ex. Um Estado se gaba do número de presidentes que produziu, mas não conta seus 'serial-killers'.
estatística de números pequenos - Ex. Dizem que uma em cada cinco pessoas é chinesa. Como é possível? Eu conheço centenas e nenhuma delas é chinesa.
incompreensão da natureza da estatística - Ex. O Presidente Eisenhower expressou espanto e preocupação ao descobrir que metade de todos os americanos têm inteligência abaixo da média.
inconsistência - Ex. Prudentemente elabore planos para lidar com as mais extremas previsões da capacidade de um inimigo militar, mas ignore projeções científicas dos riscos ao meio-ambiente porque elas não foram 'provadas'.
non sequitur (falsa conclusão, lat.) - Ex. Nossa nação vai vencer porque Deus é grande.
post hoc, ergo propter hoc ('aconteceu depois, logo foi causado por', lat.) - Ex. Antes das mulheres terem direito a voto, não havia armas nucleares.
pergunta sem sentido - Ex. O que acontece quando uma força irresistível encontra um objeto imovível? Mas não existe uma força irresistível nem um objeto imovível.
falsa dicotomia - considerar apenas os extremos de um espectro de possibilidades. Ex. Se você não é parte da solução, é parte do problema.
curto-prazo x longo-prazo - um tipo especial de falsa dicotomia. Ex. Não podemos financiar programas sociais para as crianças carentes, porque temos que lidar urgentemente com a violência urbana.
rampa escorregadia - Ex. Se permitirmos o aborto na primeira semana de gravidez, mais tarde não poderemos impedir o assassinato de uma criança.
confusão entre correlação e causa - Ex. Uma pesquisa mostra que existe maior incidência de homossexuais entre pessoas com nível superior do que entre aquelas com menor nível de educação, logo a educação torna as pessoas homossexuais.
'homem de palha' (ridicularizar um argumento para torná-lo um alvo mais fácil) - Ex. Os cientistas acreditam que os seres vivos surgiram por acaso.
evidência suprimida ou meia-verdade - Ex. Uma previsão incrivelmente precisa da tentativa de assassinato do presidente Reagan é mostrada na TV, mas (um detalhe importante) ela foi registrada antes ou depois do fato?
eufemismos - Ex. A Constituição americana diz que o país não pode declarar guerra a alguém sem aval do Congresso. Mas o Executivo executa operações militares externas sob o nome de 'ações de polícia', 'preservar os interesses americanos', etc. Talleyrand disse 'Uma importante arte dos políticos é criar novos nomes para instituições que, sob os nomes antigos, tornaram-se detestáveis ao público.'"

"FiLCHeRS"
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem