Projeto Ockham
A brincadeira do copo Conversando com os Mortos - A História da "Brincadeira do Copo"

por Widson Porto Reis mail
em 24/06/05

Conclusão

Fórum Enviar artigo

Na Idade Média acreditava-se que o Sol, a Lua e os planetas eram puxados por anjos através do firmamento. Se isso é visto hoje como o símbolo de uma Idade de Trevas, em que reinava o obscurantismo científico, é porque a idéia de uma força invisível (porém experimentalmente comprovável) como a gravidade conseguiu se sobrepor aos mitos religiosos e à imaginação popular. Pena que o efeito ideomotor, muito menos sensacional, diga-se de passagem, não teve a mesma felicidade. Coloque seus dedos em um copo diante de algumas letras e os espiritualistas lhe dirão que o copo se move porque é empurrado por espíritos zombeteiros. Mantenha o tabuleiro, troque o copo por um pêndulo que oscile entre as mesmas letras e os radiestesistas lhe dirão que o pêndulo se move por causa de uma certa energia psíquica desconhecida (assim, entre o copo e o pêndulo, prefira o último: já que não há espíritos envolvidos, o pêndulo é garantido contra maldições).

Por muito tempo os comunicadores espirituais mecânicos serviram bem aos médiuns. Kardec utilizou uma versão conceitualmente não muito diferente de um tabuleiro Ouija para escrever o clássico livro que definiu as bases do espiritualismo moderno. Esse mesmo instrumento, tido por tanto tempo como um passatempo familiar inofensivo, foi demonizado pelo cinema e pelos espiritualistas, que agora buscam distância dos métodos de comunicação tão associados no passado a truques e manipulações. Classificado como uma espécie de telex espiritual, hoje só se comunicam pelo tabuleiro Ouija - asseguram os espiritualistas - espíritos pouco evoluídos; espíritos superiores enviam suas mensagens diretamente através da voz ou da pena do médium. É uma pena que esse progresso técnico tenha dificultado o exame científico dos fenômenos espirituais, que no passado protegeu a população da exploração dos farsantes. (Se é que se pode dizer que houve algum progresso; programas de auditório como o "Fazendo Contato", do médium John Edward, em que ele recebe os espíritos no palco, diante das câmeras, sugerem que a comunicação espiritual moderna se transformou num jogo de adivinhação em que o espírito se comunica com o médium através de pistas, mímicas e palavras desconexas que vão sendo refinadas com o auxílio do cliente. Sai de cena o tabuleiro Ouija e entra o "Imagem e Ação" do além).

Com tudo isso, nos dias de hoje o tabuleiro Ouija e a brincadeira do copo passaram a responder pelos pensamentos mórbidos, pelos comportamentos de risco e pelas fatalidades inevitáveis da vida dos jovens que brincam com o sobrenatural. Infelizmente, a experiência humana demonstra que o mal não está nas divindades ou nas entidades invisíveis que convenientemente recebem em silêncio a culpa que lhes é imposta, mas em nós mesmos.

Voltar à lista de História
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem