Projeto Ockham

Ciências versus PseudociênciasCiências versus Pseudociências (Paulo Lee)
Este é um dos poucos livros em português a abordar de forma prática a questão do pensamento crítico e das pseudociências. Paulo inicialmente apresenta um resumo das concepções filosóficas ligadas à Ciência e no capítulo seguinte define as pseudociências e apresenta críticas às suas mais populares representantes: astrologia, homeopatia, ufologia etc. Também são apresentados conceitos importantes para a compreensão de como as pseudociências parecem apresentar resultados aparentemente comprobatórios: efeito Forer, pensamento seletivo, leitura fria, efeito placebo. Os textos sobre as pseudociências são enxutos e de fácil leitura tornando este livro uma leitura interessante para estudantes que, a partir das críticas e dos conceitos apresentados, estarão aptos a se defender de outras pseudociências.
O grande diferencial deste livro, que é resultado da tese de mestrado do autor, é apontar soluções que vão além de culpar os meios de comunicação, os grandes divulgadores das pseudociências. As pessoas que possuem educação formal deveriam, em sua maioria, estar "vacinadas" contra alegações pseudocientíficas. Por que isso não ocorre? A ausência de conhecimento adequado sobre filosofia da Ciência, método científico e pensamento crítico por parte de professores e alunos de Ciências naturais são uma das principais razões para a crescente credulidade da população apesar do progresso científico presente nas vidas de todos. Os profissionais da Ciência parecem utilizar o pensamento crítico somente da porta do laboratório para dentro. Doutores em Química tratam os filhos com homeopatia, físicos acreditam em astrologia... Não é de se admirar, afinal a maioria dos cursos universitários de Ciências naturais (Química, Física, Biologia etc) não possuem nenhuma cadeira dedicada a Filosofia da Ciência, método científico e pensamento crítico. Estes são os futuros professores de nível médio que simplesmente se limitarão a apresentar aos estudantes somente fórmulas decoradas para resolver exercícios que não possuem aplicação prática nenhuma na vida dos estudantes.
Paulo sugere que os professores de nível médio devem estimular a discussão sobre as pseudociências à luz da metodologia científica e em oposição às verdadeiras Ciências, assim como sobre a evolução das teorias científicas ao longo da História como forma de diminuir o nível geral de credulidade e de mostrar que a Ciência é viva, deixando para trás as idéias equivocadas, ao contrário das pseudociências.
Ana Luiza Barbosa de Oliveira

Voltar à lista de Livros
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem