Projeto Ockham
Homens de Preto M.I.B - Os Homens de Preto

por Alexandre Taschetto de Castro mail
em 10/12/02

O outro lado da história

Fórum Enviar artigo

Existiriam indícios de que os M.I.B. não passam de personagens fictícios, perpetuados em meio ao folclore ufológico? Sim, existem. Vamos a eles.

Um relatório sobre as atividades da CIA relacionadas ao fenômeno UFO, elaborado pelo historiador Gerald K. Haines, revela que esta agência realmente esteve envolvida em um esforço para encobrir relatos de avistamentos de discos voadores durante a década de 50. Em 1955, a CIA deu início aos vôos do U-2 (e, posteriormente, do SR-71), um avião secreto utilizado para reconhecimento a alta altitude. Voando a alta velocidade a 60.000 pés e pintado inicialmente na cor prata, o U-2 foi responsável por mais da metade dos supostos avistamentos de UFOs no final da década de 50 e início da década de 60. Além de não poder divulgar a verdadeira natureza destes avistamentos, para não expor o U-2, a CIA enviou agentes para coletar fotos e gravações obtidas por testemunhas.

Desta forma, é possível que o folclore do M.I.B. tenha sua origem nestes eventos reais. Isto explicaria sua descrição - homens usando ternos pretos em grandes carros negros, com uma forma mecânica (ou seria burocrática?) de se portar - o estereótipo do agente do governo americano daquela época. Mas o seu crescimento foi certamente alimentado pela imaginação, desonestidade e/ou brincadeiras de muitas pessoas.

Tomemos Gray Barker, por exemplo, um dos grandes cultivadores do mito. Segundo John Sherwood, um de seus colaboradores, Barker atingiu a fama inventando alguns relatos, aumentando outros e incentivando outras pessoas a fazê-lo: "Gray Barker ... não se importava se as histórias de discos voadores sensacionais que publicava eram inventadas - desde que elas fossem apresentadas como fato. Para ele era tudo uma grande brincadeira."

James Moseley também revelou a verdadeira natureza das histórias de Barker, de quem era amigo desde 1954, após a morte deste em 1984: "O público tem o direito de saber quantas fraudes de UFOs existem, como são fáceis de se armar e o que isso mostra sobre a ingenuidade do campo da ufologia". Moseley participou de várias fraudes com Gray Baker, incluindo a produção de documentos "oficiais" do governo americano e filmes falsos de UFO. Suas experiências neste campo são descritas no livro "Shockingly Close to the Truth: Confessions of a Grave-Robbing Ufologist".

E quanto ao relatório Krill, que além de informações sobre os M.I.B. "explica" vários outros fenômenos, como as mutilações de animais? Outra fraude, uma brincadeira armada por John Lear (filho do engenheiro aeronáutico Bill Lear, criador do Learjet). Alegando que suas conexões com o governo americano haviam permitido que obtivesse documentos secretos da Força Aérea, publicou este relatório falso em um BBS voltado para fenômenos paranormais.

Conclusão
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem