Projeto Ockham
Rapa Nui A ilha da Páscoa

por Widson Porto Reis mail
em 15/07/02

Os mistérios (I)

Fórum Enviar artigo

De onde vieram os habitantes de Rapa Nui?

Muitos acreditam que os antigos habitantes da Ilha da Páscoa vieram do continente perdido da Lemuria. A Lemuria é uma terra mitológica, uma utopia como a famosa obra escrita por Thomas More, que segundo alguns teria existido no oceano Pacífico há "um ano galáctico atrás, ou 26000 anos, durante a Era de Ouro do Império do Sol". Esta sociedade tropical espiritualmente avançada e baseada no poder feminino teria vivido em perfeita paz e harmonia até ser submersa por uma inundação global (o dilúvio de Noé?). Diz a lenda que seus habitantes, que "praticavam comumente a levitação, a viagem astral e o teletransporte, de maneira que veículos não eram necessários" teriam sido os responsáveis por erguer os moai da Ilha da Páscoa, num local que outrora, antes do cataclisma, teria sido uma alta montanha da Lemuria (segundo os crentes, alguns locais da Terra como a cidade de Los Angeles e a Ilha da Páscoa seriam as pontas imersas deste continente submerso, e isso explicaria porque nestes locais há "tantas pessoas espirituais com tantas idéias de elevada consciência"). Esta explicação e toda a teoria "lemuriana" vai de encontro ao fato amplamente aceito pelos geólogos de que as ilhas polinésias não são parte de um continente afundado, mas os topos de extintos vulcões.

Outra explicação, esta com um pouco mais de embasamento teórico e experimental foi dada pelo arqueólogo Thor Heyerdahl nos anos 50. Intrigado com a existência de pés de tomate na ilha, uma planta nativa da América do Sul, e pela perfeição dos muros construídos, semelhantes aos dos Incas, Heyerdahl propôs que o povo de Rapa Nui seria descendente de uma civilização anterior aos Incas, que teria se lançado ao mar na costa do Peru e alcançado por acidente a remota ilha. Heyerdahl mostrou que a viagem seria possível organizando ele mesmo uma expedição que se tornou famosa, a Kon Tiki, que após três meses no mar chegou aos recifes da Ilha de Puka Puka (bastante ao norte de Rapa Nui). Mesmo tendo provado ser possível navegar grandes distâncias no oceano Pacífico utilizando canoas semelhantes a dos primitivos navegadores, esta teoria não foi amplamente aceita pela comunidade científica por falta de evidências arqueológicas e linguísticas. Hoje está definitivamente provado, através do exames de DNA de esqueletos encontrados na ilha, que os primeiros habitantes da Ilha da Páscoa não vieram do Peru mas das ilhas Polinésias, por volta do ano 400 D.C.

Por que desapareceram?

Este é ao mesmo tempo o "mistério" mais bem resolvido de todos e o mais inquietante. Estudos de pólen mostram que na época em que os polinésios chegararam à Rapa Nui, por volta do ano 400 D.C., a ilha era inteiramente coberta por florestas. No entanto quando os europeus chegaram em 1722, encontraram uma ilha completamente desmatada a não ser por umas poucas árvores nas regiões mais altas.

Os arqueólogos sabem hoje que enquanto houve abundância de recursos, a população de Rapa Nui cresceu e floresceu como uma das mais avançadas de seu tempo. Mas assim que a madeira, utilizada para cozinhar, para construir barcos e casas e especialmente para mover as pesadas estátuas esgotou-se, a civilização ruiu e a barbárie se instalou. Sem poder construir casas o povo passou a viver em cavernas. Sem redes (que assim como as roupas eram feitas à partir da madeira) não havia como pescar e o frango tornou-se praticamente a única fonte de alimento que tinha que ser defendido contra os saques. Com o alimento escasso e vivendo um estado de guerra constante, muitos apelaram para o canibalismo. E o mais trágico é que sem barcos para vencer os milhares de quilômetros até a ilha mais próxima, o povo de Rapa Nui se tornou prisioneiro em sua própria iha. Em poucos anos a população, que em seu auge tinha sido de quase 10.000 pessoas, reduziu-se para algumas centenas de sobreviventes apenas.

A trágica história do povo da Ilha da Páscoa tem sido muitas vezes usada como metáfora para a história da própria humanidade. Assim como os antigos habitantes de Rapa Nui nós também estamos ilhados em nosso planeta e dispomos de uma quantidade finita de recursos naturais. Será que podemos aprender com o fracasso daquele povo e descobrir um meio de evitar o colapso de nossa civilização antes de exaurir nossos recursos?

Os mistérios (II) - os moai
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem