Projeto Ockham
Astrologia Astrologia

por Ana Luiza Barbosa de Oliveira mail
em 08/12/02

Aspectos psicológicos

Fórum Enviar artigo

Defensores da astrologia psicológica argumentam que a astrologia existe há milhares de anos e tem sido correta na descrição da personalidade das pessoas. Este argumento se baseia somente no testemunho de consumidores felizes com seu horóscopo e os conselhos recebidos e não valida a astrologia como Ciência. Isto simplesmente confirma a eficácia da leitura fria, o efeito Forer e a predisposição para a confirmação.

A leitura fria é uma técnica desenvolvida por mágicos para maravilhar as platéias e foi utilizada, conscientemente ou não, durante milênios por adivinhos e médiuns. Ela pode ser utilizada com dois objetivos: fazer a pessoa agir de uma certa maneira ou acreditar que o interlocutor consegue adivinhar coisas a respeito dela. (Dutton, D L, Experientia, 44(4), 1988, 326-332. Layne, C, Journal of Clinical Psychology, 34(1), 1978, 94-97 ).

A leitura fria se baseia nos princípios da manipulação: sugestão e adulação. As pessoas, em geral, tendem a ser um tanto quanto egocêntricas e a possuir uma visão não realista sobre si mesmas, portanto facilmente aceitam afirmações feitas sobre elas que não refletem necessariamente a realidade e, sim, a forma como elas se vêem ou gostariam de ser. Outro aspecto importante é a memória seletiva: mesmo que o manipulador faça várias afirmações erradas sobre a pessoa, ela tenderá a se lembrar somente das corretas.

A seletividade da mente humana não é uma função que pode ser simplesmente desligada. Nosso cérebro está sempre inconscientemente escolhendo aquilo que lembraremos no futuro e descartando dados considerados irrelevantes. Ser enganado pela leitura fria não significa que a pessoa é facilmente enganável ou pouco inteligente, na realidade é mais fácil manipular uma pessoa inteligente e com raciocínio lógico desenvolvido, pois, assim, ela é capaz de entender e seguir as conexões feitas pelo manipulador. Nem todos que utilizam a leitura fria o fazem de maneira maliciosa. Muitos médiuns, astrólogos, tarólogos e outros oráculos realmente acreditam que possuem poderes extra-sensoriais e ficam maravilhados com as informações que simplesmente parecem surgir nas suas mentes.

Existem três fatores importantes na leitura fria:

(1) Pesquisa de detalhes: o médium faz uma afirmação vaga porém sugestiva do tipo: "Eu sinto uma energia relacionada ao mês janeiro..." Se a pessoa confirmar, ele segue por esta linha, se a pessoa refutar ele vai lentamente mudando a direção da conversa e "pescando" detalhes.
(2) Todas as alegações são vagas ou na forma de perguntas: "Eu sinto uma sensação morna na área da nuca..." ou "Você tem sentimentos fortes em relação a uma pessoa nesta sala, certo?".
(3) As ocasiões em que o médium erra serão seletivamente esquecidas.

Outro fator presente em várias pseudociências é o chamado efeito Barnum, ou efeito Forer, identificado pela primeira vez pelo psicólogo B.R. Forer. (O nome Barnum parece ter sido uma homenagem de Forer ao artista de circo P. T. Barnum conhecido por sua grande habilidade como manipulador psicológico). Forer descobriu que as pessoas tendem a aceitar descrições de personalidade vagas e gerais como se fossem única e exclusivamente suas sem perceber que as descrições se aplicam a quase qualquer pessoa. Este efeito é conhecido pela psicologia há mais de 20 anos e existem vários trabalhos sobre o assunto.

Alguns estudos comprovam a eficiência da leitura fria e do efeito Forer:

O próprio Michel Gauquelin colocou um anúncio em um jornal francês oferecendo horóscopos. Ele enviou o perfil de um assassino em série para as 150 pessoas que responderam ao anúncio. Quando entrevistadas mais tarde, 94% dessas pessoas afirmaram que se reconheciam naquele perfil.

Geoffrey Dean inverteu os perfis astrológicos de 22 pessoas, ou seja, substituiu as frases do horóscopo por outras que significavam o oposto. Ainda assim, as pessoas continuaram a afirmar que os perfis se adequavam a elas em 95% dos casos, a mesma freqüência das pessoas que receberam os horóscopos corretos. (Dean, G. Does Astrology Need to be True? Part 1: A Look at the Real Thing, Skeptical Inquirer, 11, 166,1987) Em outro estudo, ele também demonstrou que as diferenças de personalidade de gêmeos idênticos não podem ser previstas através da astrologia. Este trabalho foi publicado na revista Personality and Individual Differences, 21(3), páginas 449-454 em 1996.

Além da leitura fria e do efeito Barnum, outro importante fator psicológico é a tendência para a confirmação (confirmation bias). Esta tendência é um tipo de pensamento seletivo e inconsciente em que tendemos a perceber somente os fatos que apoiam aquilo que acreditamos e ignorar ou diminuir aqueles que nos contradizem. Isto é um fato tão arraigado no ser humano que leva muitos cientistas a projetar experimentos tendenciosos que confirmam suas teorias. Portanto é sempre necessário que autores com idéias contrárias revisem artigos científicos. Este fenômeno conhecido e extensivamente estudado também é observado em diagnósticos médicos.

Outro aspecto interessante é que culturas que possuem outros tipos de astrologia também "sentem" sua influência e acreditam que os horóscopos descrevem totalmente sua personalidade. Na realidade a astrologia está tão arraigada nas vidas das pessoas que elas passam a assumir características relativas ao seu signo. Exemplo: geminianos são extrememente comunicativos, logo alguém que passa a vida inteira ouvindo e lendo isso, passa inconscientemente a agir de forma comunicativa. Na astrologia chinesa, os signos são designados de acordo com o ano de nascimento e este signo é utilizado para descrever a personalidade e prever o destino de uma pessoa. Em vista disto, as pessoas nascidas em um ano ruim chegam ao ponto de morrerem mais cedo ao internalizar o fato de que têm um destino ruim (Phillips, D P; Ruth, T E; Wagner, L M, Lancet, 342(8880), 1993, 1142-1145 ). E explosões de nascimento ocorrem em anos auspiciosos como o ano do dragão (Nguyen, M.T., Swenson I. J Biosoc Sci., 28(3), 1996, 367-77.). Portanto, mesmo sendo um sistema astrológico diferente do ocidental, a astrologia chinesa "funciona" para aqueles que acreditam nela, ou seja a eficiência da qualquer sistema astrológico é um fenômeno meramente cultural.

Conclusões
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem