Projeto Ockham
Homeopatia Homeopatia

por Ana Luiza Barbosa de Oliveira mail
em 05/07/02

Pesquisa científica

Fórum Enviar artigo

Inúmeros estudos sobre a eficácia de remédios homeopáticos já foram realizados. Entretanto, a qualidade destes estudos varia consideravelmente e suas conclusões são muitas vezes influenciadas pelas crenças pessoais dos autores (tanto a favor como contra a homeopatia). Assim, citaremos uma série de reviews onde foram avaliados os resultados de vários estudos abordando remédios homeopáticos:

Hill C, Doyon F. Review of randomized trials of homeopathy. Rev. Epidme et Sante Publ 1990; 38: 139-147. (abstract): "Na nossa opinião, os resultados não apresentam evidências aceitáveis de que tratamentos homeopáticos são eficazes."

Kleijnen, J., Knipschild, P. and ter Riet, G. Clinical trials of homeopathy. BMJ 1991; 302: 316-323. (abstract): "No momento, a evidência resultante de estudos clínicos é positiva, mas não suficiente para se chegar a conclusões definitivas porque a maioria dos estudos tem baixa qualidade metodológica e por causa do papel desconhecido da falta de imparcialidade nas publicações."

Cucherat M, Haugh MC, Gooch M, Boissel JP. Evidence of clinical efficacy of homeopathy. A meta-analysis of clinical trials. HMRAG. Homeopathic Medicines Research Advisory Group. Eur J Clin Pharmacol. 2000 Apr;56(1):27-33. (abstract): "Existe alguma evidência de que os remédios homeopáticos são mais eficazes que placebo; entretanto, o valor desta evidência é baixo em função da baixa qualidade metodológica dos estudos."

Linde K, Melchart D. Randomized controlled trials of individualized homeopathy: a state-of-the-art review. J Altern Complement Med 1998 Winter;4(4):371-88 (abstract): "Os resultados dos estudos disponíveis sugerem que a homeopatia individualizada tem um efeito superior ao placebo. As evidências, entretanto, não são convincentes por causa de falhas e inconsistências metodológicas."

Jonas WB, Anderson RL, Crawford CC, Lyons JS. A systematic review of the quality of homeopathic clinical trials. BMC Complement Altern Med 2001;1(1):12 (abstract): "A pesquisa clínica homeopática está claramente em sua infância, com a maior parte dos estudos usando amostragem e técnicas de medida de baixa qualidade."

Linde K, Hondras M, Vickers A, Riet Gt G, Melchart D. Systematic reviews of complementary therapies - an annotated bibliography. Part 3: Homeopathy. BMC Complement Altern Med 2001;1(1):4. (abstract): "A maioria dos estudos disponíveis parecem relatar resultados positivos, mas as evidências não são convincentes."

Bellavite P, Andrioli G, Lussignoli S, Bertani S, Conforti A. [Homeopathy in the perspective of scientific research]. Ann Ist Super Sanita 1999;35(4):517-27 (abstract): "Uma resposta clara e definida ainda não é possível devido à baixa qualidade de alguns estudos publicados, a falta de reprodução por investigadores independentes e a incerteza a respeito das metodologias a serem usadas ao testar as alegações da homeopatia."

Linde K, Clausius N, Ramirez G, Melchart D, Eitel F, Hedges LV, Jonas WB. Are the clinical effects of homeopathy placebo effects? A meta-analysis of placebo-controlled trials. Lancet 1997 Sep 20;350(9081):834-43. (abstract):"Os resultados de nossa análise não são compatíveis com a hipótese de que os efeitos clínicos da homeopatia são totalmente devidos ao efeito placebo. Entretanto, não encontramos evidências suficientes, nestes estudos, de que a homeopatia é nitidamente eficaz para qualquer condição clínica."

Aulas, J. Homeopathy update. Préscrire International 1996; 15(155): 674-684. (artigo):"Como os medicamentos homeopáticos são geralmente utilizados em condições com resultados variáveis ou que apresentam recuperação espontânea (portanto respondem a placebo), é amplamente aceito que estes medicamentos tem um efeito em alguns pacientes. Porém, apesar do grande número de testes comparativos conduzidos até a presente data, não existe nenhuma evidência de que a homeopatia seja mais eficaz do que a terapia com placebo quando administrada nas mesmas condições".

Wise, J. Health authority stops buying homoeopathy. British Medical Journal 314:1574,1997 (artigo integral): "Uma autoridade de saúde de Londres decidiu parar de pagar tratamentos homeopáticos em virtude da falta de evidências que justifiquem seu uso." Nota-se que a decisão não foi influenciada por algum preconceito contra terapias alternativas, uma vez que "... a autoridade continuará a pagar por tratamentos de acupuntura ... já que concluiu que existem boas evidências de que este tratamento é eficaz."

Pode se argumentar que vários dos estudos mencionados acima citam alguns resultados positivos em relação à eficácia da homeopatia e que a consideração de que estas evidências são fracas seria causada por algum tipo de preconceito. Entretanto, considerando que a homeopatia é praticada há mais de cem anos, seria de se esperar resultados muito mais óbvios a seu favor, se ela fosse realmente eficaz. Por fim, o ônus da prova cabe aos homeopatas, isto é, antes que sua prática seja aceita pela comunidade científica, cabe a eles provar clara e confiavelmente sua eficácia.

Ao contrário dos medicamentos tradicionais, que cumprem longos períodos de testes em laboratórios para, enfim, se tornarem candidatos a testes clínicos rigorosos para tentar provar sua eficácia, os chamados remédios homeopáticos não passam por nenhum destes testes. O critério para sua inclusão na Farmacopéia Homeopática são as chamadas provas realizadas durante o século XIX e início do XX. O fato de entidades como o FDA (Food and Drug Administration, a vigilância sanitária dos EUA) reconhecerem os medicamentos homeopáticos não significa que estes sejam eficazes, justamente porque destes "medicamentos" não são exigidos os mesmos testes que os medicamentos comuns. Pelo contrário, a comunidade homeopática resiste a que estes testes sejam realizados (veja este documento).

A aparente eficácia
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem